Imprimir

Música

Existem muitos tipos de danças tradicionais e instrumentos musicais tradicionais.

O violão tradicional, feito ao longo da Costa,
tem uma grande haste e o ressonador é feito da casca do coco. A 'marimba' é um instrumento musical comum entre muitas tribos, especialmente as que ficam ao redor de Dodoma. A pequena caixa de madeira é o ressonador para um conjunto de cordas de metal de diferentes tamanhos que são tocados com o dedo polegar para produzir música. O tambor é um dos instrumentos musicais africanos mais imporante. Existem diversos tipos de tambores, em muitas formas e tamanhos. No passado os tambores podiam ser usados para convocar as pessoas a irem ao encontro do governante ou grito de guerra.

Estes instrumentos de percussão já foram usados para anunciar a chegada ou partida de um lider tradicional ou para manter o ritmo ou moral para sociedades baseadas na agricultura através de uma dança chamada Gobogobo. Alguns tambores eram usados para anunciar a chegada ou partida de um lider tradicional ou para manter o ritmo e moral as

A dança é uam expressão de emoção. A emoção transmitida pode ser de felicidade, tristeza ou marcar uma ocasião sagrada (época da colheita, casamentos, circuncisão, evento de iniciação, etc.). Diferentes instrumentos musicais são utilizados, tais como tambores, marimbas, apitos e outros. Qualquer que seja a dança, a mensagem a ser comunicada pode ser lida pelos rostos da platéia.

O Tarab é um show de música local muito popular em Zanzibar. O Taarab tradicional é um show vespertino onde um cantor executa sua apresentação com o apoio de uma orquestra de 40 instrumentos (tambores, cornetas, cordas...). O Taarab também é teatro porque mulheres em seus trajes especiais se movem lentamente até o cantor, dançando perto dele e lhe entregam dinheiro. Esta é uma expressão de elogios aos instrumentistas e ao cantor. O Taarab tem influências da música indiana, árabe e africana.

O Mwaka Kogwa é uma celebração do início do Ano Novo e é muito popular em Zanzibar. Esta celebração tem a duração de quatro dias e é realizada na terceira semana de julho por ser raízes na religião zoroastriana. Uma das características principais desta celebração são as lutas simuladas com caules de bananeiras. A idéia atrás dessas lutas é a de dar uma oportunidade a todos para dar vazão a suas queixas para que eles possam entrar no novo ano com um coração limpo e puro, livre de qualquer sentimento de amargura, em outras palavras, os mal-entendimentos e as queixas são deixados no passado.

Enquanto os homens lutam, as mulheres, vestidas em suas melhores roupas, cantam canções Kiswahili com comentários e mensagens sobre o  amor e a vida na aldeia. Estas músicas são dirigidas principalmente aos homens.